music

domingo, 3 de julho de 2016

Aos cuidados do mago...

(Prt:1)   O pedido...


Para que ele decifre esse amor
envio a fórmula usada...

Sonhos variados
desejos secretos
e segredos
confessados.

Ela resistiu,
tentou se esconder.
Mas se abriu
ao me ver.

Quis ouvir!
Eu falei!
Quis sorrir!
Eu me alegrei!

Me deu as mãos,
(pude abraça-la)
Me ofereceu o coração
(Pude então ama-la)

Ela também me amou,
isso desde o inicio.
Quando a gente se encontrou  
não esperávamos por isso.

Mas foi intenso
e muito forte!
Mas um medo propenso
"Ameaça-me dizendo"... (foi sorte)

Agora mago está em tuas mãos
responda-nos!
Se existir ameaça, qual é a solução?


O mago nos enviou:

Continuação...(Prt;2)

(A resposta)

Consultei as estrelas
e indaguei o mar.
Este mago -se aconselha
com o brilho do luar.

Evoca todo conhecimento
e toda alquimia.
  Estuda a linguagem do tempo
-a ciência e a poesia.

Eu...já estavas, pôr desistir
quando estrelas de calcantita
 caíram do céu.
No lago dos ametistas
perto daqui.


Suas águas amargaram,
seus poucos peixes morreram. 
Os aldeões me procuraram,
 
"Mago! Dezoito ovelhas prenhas se perderam!"
 
 Que dessas da água beberam!

Química irrevogável,
é a morte e a vida
Amarga é doce crisálida
De efeitos irreparáveis.

"Mas eu estive na fonte,
e está brotava água nova
que no lago desaguava.
 

Olhei para o horizonte
O sol  já se afastava.
Me sobreveio a redenção
"Abram uma extensa vala,
  para está reserva d'agua
se espalhar pelo chão!"
 
A terra se embebecia
e a água estava mais clara.
E, a vida se refazia...

Com o tempo
o amargo foi dissipado.
   novos rebanhos
nasceram,
a mais vida no campo, e mais saúde no gado.
 
"Eu tenho a resposta para teus medos agora."
 
O decifrar de teu enredo
-vai ter dia, e vai ter hora!

Estou te enviando,
Uma ampola do tempo.
Um a um os grãos de areia
ela segue contando.
7 noite e 7 dias o tempo dessa areia, 
para que te retenhas em teu descontento.


Teu amor é o lago cristalino,
a vida a dois, é o céu aberto.
  Como nas estações
terás dias sem brilho.
Céu turvado solo deserto,
e nas noites não virá as canções...

 Quando caltantitas choverem lá fora
trará com ela, a cobiça e a inveja.
(Estas murmuram entre si)

"Diziam se amar e agora?"

18 ovelhas prenhas, morreram
é a fertilidade do amor no luto da solidão.
 Qual os vossos corações se renderam.

Quando chegar esse dia
quê, não se saciar de tua fonte.
Busque uma porção no brilho do luar,
quando este surgir no horizonte.


O mago estará ali
  tenham-no bem guardado.
  Ele é a areia de seu tempo,
um ciclo de 7 dias,
 durante estes
não hajas precipitado!
 
O amor submergido  d'vossos corações
será a fonte, que vai produzir água nova.
O amargo, são as vossas lágrimas
 que serão absorvidas pela solidão.

Existirá nessa magia, novos encantos, 
a paixão intercessora, é a rainha das fadas!
Para as regras obedecidas, deste encantamento,
assegurará-vos (este vosso amor jamais se acabará)


O mago do tempo.
 
Continuação...(Prt:3) fim 


(o uso da magia)

Irrefutáveis e irrevogáveis
São:
"Vida e morte! Dia e noites!"
O tempo e nós!

...
 
Anos se passaram...
(quando se antecede um segredo)
Se preparam
para vencerem os maiores medos.

Um dia, bateu a nossa porta
A nossa provação.
essa, quando chega não têm volta.
Até quê se aprenda a lição.

Um sonho de amor
as vezes têm seus próprios pesadelos. 
Dias de muito calor,
noites muito frias, e turvos desesperos.

A inveja é uma semente
e a cobiça uma vertente.
 
Uma planta-se lá dentro
a outra faz crescer com o tempo.

Meu amor estava sendo dissipado
(pobre homem é mulher)
Quando se sentem só's e d'solados
as decisões são involuntárias
(mas no fundo)
não e isso, o que se quer.

Antes quê eu vá embora
esperarei o contar do tempo,
 como orientará-me o mago
7 dias e 7 noites iniciadas a partir de agora
porção (colhida) do luar no horizonte claro.

Começa a contar, os segundos desse tempo.

A espera é um fardo,
e a solidão um ombro amigo.
A saudade liberta o escravo,
mas estes querem voltar as suas origens.

Enquanto esperávamos,
sentíamos nos tristes.
Enquanto nos recordávamos
o coração, (insiste)
Em lembrar...
 
Do sorriso dela,
da sua amizade.
Das nossas primaveras
Ah...quanta saudades...

Mas ela estava em outro quarto,
já se passará 5 dias...
Sem meu carinho, é eu sem teu  abraço,
não tínhamos mas, a mesma alegria.

Quando a vi, 
lágrimas rolavam em seu rosto.
A nossa vida, passava em páginas
nas lembranças um do outro.

"Não!... Não posso perdê-la!"

 Minha amada e como a noite
mas hoje em seus olhos, não vejo as nossas estrelas...

Meu amor é como um lobo,
se sentindo sozinho pelo deserto.
Tenho frio, que arde-me como fogo
e minha lua não surge,
os portões deste céu não foram abertos!
 Dentro de mim, há uma alma que ruge...

O silêncio, das almas vagantes
procuram-se.
 Pelos corpos de seus amantes,
se torturam.
 
 






Hoje,
 eu a conheci novamente,
e ela também me conheceu.
 
O amor também e uma semente,
  passando pelas lágrimas, amargas,
mais forte ele floresce.
 E produz frutos que não se acabam...
 
Hoje não vai ter noite escura,
em nosso céu.
 
Nem sombras densas em nosso dia.
 
Ela brilha mais forte ...minha lua,
têm toda a magia,
 e eu tenho
O mago do tempo,
para ressuscitar as nossas fantasias.
 
 
Fim.
 
 
 
(lourisvaldo Lopes da Silva)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Posts Relacionados