music

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

A Cabana na Neve!



O solo regurgitava vida,
é os ciprestes oferecendo sombra!
O calor da tarde, a forçar guarida,
e apenas a noite prevalece, e nela vida descansa...


Assim a amei em meados de verão,
a percorrer entre os carvalhos...
Vi nosso amor se espalha pelo chão
e de teus lábios me embebecia o orvalho!



E nas sombras da noite tu se escondias,
para que eu a pudesse encontrar...
Ao ser surpreendida agradecia,
e no meio da clareira se exibia nua,
a luz do luar!




E foi ali, neste descampado despido,
que edificamos a nossa cabana!
Do pequeno lago, luar refletido,
preenchia nosso quarto, enquanto a gente se ama!




Mas os ventos frios começavam a uivar,
e serenava, sobre as flores que enfeitavam os dias...
Para a nossa lareira recolhemos  lenha, e para o frio (o mais forte abraçar)
Silencioso e suave o nevar acontecia....




E o sol, agora apenas clareava a nossa terra,
e o nosso pequeno lago, resolveu descansar...
E as noites frias nos unia ainda mais,
agora a luz da lareira e o nosso luar!





Vejo pegadas na neve,
ela ainda brinca de se esconder!
Para me provocar se atreve...
Gosta de me surpreender!




Logo entendemos olhando ao longe a nossa cabana,
e hora de voltar, me diz teu olhar entregue!
Lá dentro, a gente tem todo o tempo, para se amar,
não importa o frio, este nosso amor se aquece ate mesmo na neve,
quê esta lá fora (proibida), e no interior de nossa cabana,
apenas a luz do luar!


E no reflexo da lareira,
duas sombras abraçadas!
A recordar o amor que nasceu na clareira!
No calor da madrugada!



A cabana na neve!



Autor:


lorisvaldolopes.blogspot.com.br
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Posts Relacionados