music

domingo, 4 de setembro de 2016

A magia dos contos de amor



Marivaldo e Celestina

O tempo é fraco na presença memorável
O destino nada altera do passado...
"Meu Deus!" Poderá (eu)
Viver hoje, dias tão singelos e afáveis
D'stes tanto carinho amada, ao teu amado
Marcas dessa saudade que o tempo não varreu...

Um jovem moço (Marivaldo) Decidiu a própria história
Em lugares de muita simplicidade, se escondem as fontes cristalinas
Suntuosa benévola acrescenta-se as correntes
D'um futuro bem antes plantado, vem a colheita das glórias
Cores avermelhadas avultam os lábios de Celestina
Profuso o amor, corre em abundantes afluentes

Emersa margeava, com ociosa solicitude
As flores, e borboletas que enfeitam o ano todo
Acompanhavam-na em tua virtude singela
Na curva daquele rio, descansava um grande poço
Acalma fomenta a plenitude
Cuja paz, pesca os alentos d'um jovem moço
Pés descalços se aproximam
Menina nova, fez mover a sua volta a primavera

Como se ergue o sol para observar a terra
Seus olhos brilharam muito forte  
O vento suave acariciava as folhas
E os bandos de aves repousavam sobre a floresta
Aonde encontram repouso, bem ali fazem seus ninhos
"Aqui bem aqui, Ave minha chegastes ao norte!"
O amor segue o instinto, e o instinto faz as escolhas.    

[E a escolha lança as sortes]

..."Podemos voltar juntos?" (Quem se encontra em outra pessoa)
Não sabe mais, como viver sozinho!
A magia do amor está em cada encanto que fascina,
no olhar, no sorriso, nos cabelos, e até mesmo no vestido...
Marivaldo sabia, que sua vida dependia dessa escolha,
(Celestina) Agora mora entre os seus carinhos
É o silencio dos seus dias, foram depostos por seus sorrisos

Marivaldo, tão simples, não sabia o que era romantismo
E Celestina, recebia seus afetos encantada
Tudo queria e dividia com ela,
Orquídeas ornamentadas em feixes de trigo
Para enfeitar as mãos de sua fada
(Bem ali) Nascia quimera...

Na lenda, o respeito, o desejo e a admiração
Na esperança, o sonho, a busca e a inspiração...

Possa ser meu Senhor! Que me concedas tão bela utopia
Para que eu possa ao lado de meu amor correr em pastos livres
Cultivar flores colhidas em suas mãos,
E todo o silencio em nosso mundo ceda, para ouvir poesias
Aonde é meu Senhor! Que Marivaldo e Celestina ainda vivem?
Posso senti-los ardendo em meu peito como uma canção...

...Passos ouço, suaves, (Minha amada) Nossa hora se aproxima,
A legião dos anjos de luz harpejam, doces afetos em meu coração
Quando meus olhos repousarem em ti
Não mais, estarás só, (sem mim) Amor é frase que rima
Só há dois caminhos, que se tornaram em um,, quando dermos as mãos...
Se o amor ecoou até chegar aqui,
De ti, minha amada, Jamais vou desistir! 





  
(Lourisvaldo Lopes da Silva)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Posts Relacionados