music

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

O lançador de Amores...




Aonde percorrem labaredas,
resumem o capim, em cinzas de flores!
Bem ali existia uma vereda,
caminho mais perto ao manancial dos favores!


No lugar, das terras dormentes,
corações enfraquecidos...
Solo, cansado a espera de sementes...
Destas quais, ouço o bramido ...


" O lançador de amores e gente igual a gente!!"


Para a distância, (a existente) criada entre vós!
Um abismo exige adeus, riscando a  presença ...
Lance a ele, para quê a razão, possa emergir entre nós!
E cada qual, apresente a sua conveniência....


O lançador de amores,
veio abstratamente das terras de  quimera?
Inexplicável, como os perfumes das flores,
a esperar, a desejada primavera!


Para a presença não suportada,
a ausência foi imposta...
A uma canção abrindo estradas,
até o coração, e ali que ambos se gostam!


Pode o olho, mais uma vez se abrir?
Grilhões e ferrolhos, cegam a alma!
Das alturas, amores vão cair,
na leveza das plumas, o mar se acalma!!

Veio dá imaginária, e longínqua utopia...
As loucas aves (cegonhas) trazendo poesias!
Vêm trazendo as sementes desta flor,
mas,a semente apenas mente,
se não encontrar seu lançador!

Eu,  joguei destas, sobre (vingança)
A mãe das piores feras,
capaz, de sequestrar até mesmo esperança,
Na espera, (do amor) a flor mais bela!


Adubem as mudas,
adoram paciência...
E quem cedo madruga,
será abastecido primeiro,
do teu celeiro,
recompensa,(e a tua) persistência!



Os amores chegam sem parar,
e voam pôr todos o lados...
Sem se esgotar,
O lançador de amores,
Está posicionado!


Pode amar sem medo,
viver assim também...
Sem segredos,
a luz a esta, planta faz bem!

Existe vida em ti?  Ainda quê,  decepcionado?
O fôlego que em ti respira, merece viver...
ainda a tempo não serás desprezado...

O lançador sou eu, o meu grande amor e você!


Antes, quê a sentença desça sobre ti o malhete,
e o magistrado aponte a prisão!
Lhe trouxe um sementado ramalhete,
Quê  tem poder de libertar, o teu coração...

Não há, fortes para detê-lo!
Nem prisões seguras o bastante...
O amor segue eternamente livre, a lugares distantes...


E pensando bem,
lançador de amores,
tem favores quê nós guiará no além!


Quem ama vive,
e o quê não, já está morto,
Para ser livre,
Veio do céu onde todos esperam,
a ordem, amem uns aos outros...
Deste mesmo céu por qual todos se aglomeram!


O lançador de amores...


Autor:


lorisvaldolopes.blogspot.com.br
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Posts Relacionados