music

terça-feira, 8 de março de 2016

Farol


Se não fosse o farol...

Seria a tormenta derivante em alto mar...
Diante do desesperado barco a derivar ao léu...
 Quê se surpreendeu, com a fúria da natureza sem avisar...
 Tolo marinheiro dos sete mares nunca conhecerá sequer o primeiro céu

A transportar passageiros
 deslizava sobre o mar azul
A esplêndida nave cruzeiro
legava os sonhos transatlânticos de norte a sul...

Sua tripulação bem sincronizada...
"como a população de andorinhas
que migram de um lado a outro e suas milhas são ousadas!"
...Pessoas que cruzam os oceanos jamais estão sozinhas...

Seguem motivos
mirando em novos alvos!
A grandeza do mar não aceita indecisos...
É longas distancias só são vencidas (pelos calmos)

Assim como a linha do equador
(respeita o triangulo das bermudas)
A linha do amor
aonde estiver um sonhador permuta....


Naquela embarcação a espera era recompensada
nos salões de festas
É na proa uma praça para se admirar o luar é a madrugada!
É o embalo das ondas embriagava ao doce som das Orquestras...

Foi ali quê conheci, Marry stella
dispensando satisfações é concentrada no almejar das suas buscas...
Não me aproximei foi como um encontro predestinado
Já quando a linha do horizonte sorria amarela
Ainda conversávamos, acobertados pôr uma suave música
Vinda das ondas, (quais acompanhávamos abraçados)


Como se em todo o mundo restasse apenas nós dois
em nossa  ilha...
Sem desejar outra vida, nossa fantasia ...
Mudaria para sempre o que viria depois.

O dia lentamente começava sua escalada...
é a gente se encantava a cada passo em nossos corações
em nosso quarto, eu estava a amando muito, é ela se declarava apaixonada...
Estávamos decididos a seguir juntos, para sempre na mesma direção...

Vivíamos um sonho de amor (o nosso sonho)(o nosso amor)
Mas a vida é surpreendente, é a natureza desconhecida nos é incerta
Quando o azul do céu se se esconde, a natureza pode mudar os planos
Tempestades em alto mar,  os piores medos despertam...

E as águas já anunciavam em suas revoltas
" Grandes ondas estão se levantando!"
Em sincronia com os ventos em nossa volta
Ainda era dia, mas uma noite muito escura estava se aproximando.

E como se a luz repugnasse a fúria,
 em meio a solidez de tamanho breu abriam-se fendas
 Raios é trovões exibindo sua mórbida luxúria...

O imponente navio nada mais era
 Quê um pequeno barquinho de papel
 Da casa de máquinas, aonde a confiança se exacerba!
Fumaças, se dissipavam escurecendo ainda mais,  o céu...

Naquele dia, foi como se apenas a proa orgulhosa da suntuosa embarcação
Dividisse céu é mar...
O desespero se resumia em abraços lágrimas e soluçar...
Ás aguas tão incertas, como o nosso anseio de pisar novamente no chão!

Não houve quem não se despediu naquele dia
 Em meio a caos é pavor, se remoí em dores lembradas  a memória,
reconhecendo na saudade, valor é belezas que pouco sabemos aproveitar
como se fosse tal desespero o inspirador  da ultima das  poesias
Nossa curta história de amor, não conheceria o futuro de sua própria glória...
Determinava o mar...

Abraçados pedíamos ao céu uma nova chance
" Um momento de ânsia pesa tanto quanto a morte"
É amor verdadeiro pode existir , inda que seja breve seu único instante...

Como esquecer as horas de aflições
Longe da terra
Desprovida vida, céu e mar nos puniria em suas prisões
Para indefeso, nem pode somar tamanha desvantagem como guerra...

Quando a maior porção do planeta se revolta
Tendo ao seu lado, o berço das estrelas
Nem a maior das esperanças garante volta
iríamos juntos aonde fosse preciso,
ela me queria é eu não queria jamais perdê-la!
Não...(não) Merecíamos injusto juízo...


Nosso abraço nos resumia por toda uma vida
dois seres que se encontraram, não mais prosseguiríamos sós
Ainda que nos fosse proibido a vida
apenas começava a nossa historia, mas breve terminaria em nós!


Ela estava em mim como a nau estava apegada ao mar
É nos desejávamos, como as nuvens vertentes
Que se entregavam naquele lugar
(estas) não haviam escolhido a gente!

 Já era madrugada de trevas é angustias
os gritos é prantos se reduziram em soluços!
Sem a luz, sem o calor é sem a alegria
como se fosse o nosso momento ultimo!

 De repente uma luz ofuscante
atinge o breu denso das nuvens que se afastavam...
O futuro nos acenava com um olhar distante
é as aguas bravias se acalmavam!

A tripulação sobre as ordens de seu comandante se recompunham
é a chegada ao mundo nasceria em nós mais uma vez!
Céu é mar nosso agressor, nossa maior testemunha
diante de uma segunda chance "Não existe talvez"

Fomos todos aos botes salvas vidas, é a aurora nos facilitava o rumo
é o farol de pés molhados das grandes ondas
Nos esperava como se de nossas vidas fosse o prumo...


 Na verdade o farol nos foi como um pai
que desperta seus filhos no meio de um pesadelo!
No calor da vida encontramos paz
eu é Marry voltamos lá, todos os anos para agradece-lo!


O amor é virtude de Deus
que escreve perfeitamente por linhas tortas!
Aquela viagem que uniu Ela & Eu
foi decidida de ultima hora não era nossa costumeira rota.


Até hoje dormimos abraçados
para não sentirmos mais o medo...
Juntos somos fortes é temos nos confortado
na mais forte emoção, foi batizado o nosso desejo...


Ah farol...Que enfrentas a escuridão
para guiar o perdido marinheiro!
És como o brilho do meu coração
a cultivar este (nosso) amor verdadeiro...



(Lourisvaldo Lopes da Silva)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Posts Relacionados