music

quinta-feira, 30 de março de 2017

(Conto) Medos, Segredos, e provas de Amor...

Sim ou Não?
Há alguns anos atrás...
Três amigas conversavam entre si;

― Eu não gosto e nem acredito, nesse negócio
de romantismo sincero e de um amor pra vida inteira!
(Essa é Vanusa)
...Ela tinha os seus motivos, e ninguém pode dizer
que ela está errada, "A menos que essa pessoa que conteste-a"
tenha passado pelos mesmos caminhos e decepções amorosas 
que ela, e tenha conseguido superar e se realizar no amor!
 
― Eu tenho medo de me casar! ― Vai que não dá certo,
e depois vem a separação, e tudo se desmorona como um castelo 
de areia! "Acho que casar, para mim está fora de contexto!"
   (Decidida estava Débora)
 ...Companheira de jornada de sua mãe, Débora cresceu ouvindo 
a mesma se lembrando, quase todas as noites dos momentos vividos
ao lado de seu pai, antes da separação. E não conseguia esquecer
às vezes que a pegava chorando escondida. E nem dos fins de semana
que ela esperava ansiosamente as visitas de seu pai, e ele não aparecia 
e sempre que aparecia, era as carreiras, sempre tinha um motivo
para se justificar. E isso gerou em Débora esse instinto de preservação.
 
― Eu me casaria sim! ― E sem hesitar, se me apaixonasse de verdade
arriscaria todas as minhas sortes, para viver esse amor.
― Se não der certo, não deu! Fazer o quê né?
A vida continua...
(Era o ponto de vista de Thalita)

...Thalita vivenciou por inúmeras vezes, entre seus familiares
vários relacionamentos quebrados, e em iguais vezes
novos relacionamentos sendo iniciado. Por tais exemplos tão próximos
ele estava tão suscetível a acreditar no amor, como também 
influenciada a reagir quando este não fosse verdadeiro.

Essas três senhoritas, 
passavam horas debatendo sobre esse tema; (Casamento)
E isso em algumas vezes as revoltavam, e em algumas vezes
as entristeciam  e em outras vezes as alegravam.

Revoltas elas sentiam
quando presenciavam maus tratos contra a mulher, 
como o caso de Rodolfo e Janete
que foi iniciado como um conto de fadas e terminou
como um pesadelo. 

― Graças a Deus! "Janete se libertou daquele traste!"
(Diziam elas entre si)

 Observando Janete passar com seus dois
filhos do outro lado da rua, 
uma família desfalcada mas uma família feliz. 
Rodolfo estava preso,
e ela estava preparando suas coisas 
para voltar para a terra de seus pais e criar os seus
filhos em um lugar em que se sentissem amados e protegidos.


Tristes elas se sentiam
quando descobriam traição
em relacionamentos que elas tinham e consideravam como exemplos.
"Francisco Paulo um legitimo cavalheiro,
sempre comprando flores e bombons e fazendo juras de amor
para Margarida sua esposa. 
Até que foi visto por uma delas
saindo do bordel, com uma acompanhante que em nada
poderia ser comparada a doce e encantadora dona Margarida. 

Alegres elas se sentiam,
 ao notarem Ubiratan e Jovelina

um casal já bem velhinhos, eles se conheceram na juventude
e logo se casaram.
 E mesmo depois de 56 anos de casados, 
ainda pareciam namorados.
Jovelina era o exemplo, que uma mulher pode ser amada, 
respeitada e cortejada por uma vida inteira. 
E Ubiratan era a prova viva
que é possível um homem ser feliz ao lado de uma única mulher,
e que o carinho, o respeito e a amizade pode ser cultivado entre ambos.
Ubiratan desmentia a versão majoritária, que homem 
nenhum consegue ser fiel a sua mulher.

Pois bem estavam ali, Ubiratan e Jovelina passando por elas
abraçadinhos, e cochichando segredos e desejos,
 um pelo outro visivelmente apaixonados.


Alguns meses depois...

Um dia Vanusa conheceu Gustavo.
Gustavo não era um romântico nato, e nem gostava de 
enganar as pessoas. Era contra o excesso de palavras
e a favor das demonstrações verdadeiras.
Por isso estava solteiro, e até conhece-la jurava que
envelheceria assim mesmo (sozinho) 
Se sentia melhor  que enganando
ou sendo enganado.

Vanusa e Gustavo.
Almas gêmeas 
(e igualmente revoltadas)
Quem entenderá tal mistério,   
porque no fim elas se atraem...

E assim mesmo se entregam, receando uma a outra
e neste dilema os anos passam, o amor vai crescendo
e o que é verdadeiro vai acontecendo.

Vanusa e Gustavo
nos dias de hoje são considerados
como um casal frio e diferente.
(às pessoas) só julgam o que veem por fora
porque por dentro, ambos se desejam
muito, sempre estão ardentes
e nunca se sentiram vazios.

Débora; 
Raul tinha uma historia de vida intrigante,
foi menino de rua, passou pelo abandono, 
pela fome e pelo frio na sua infância.
Ele mesmo se orgulhava de contar sua historia
e de como sonhava que deveria ser uma família,
e como uma criança deveria ser criada.
Cresceu, tornou-se homem adulto,  
e habilidoso vendedor ambulante, 
e havia comprado a sua casa própria e aberto
uma pequena loja de consertos e vendas de celulares
próximo a casa de Débora.

Não demorou muito, para que a recém amizade
se transformasse em um forte amor entre ambos.
Um amor de raízes e de valores considerados e respeitados.
Débora sentia-se segura ao lado dele, 
e ele transparecia a sua devoção ao sonho
de uma família unida e forte.

Até os dias de hoje,
tudo entre eles está acontecendo
como sempre sonharam.
Débora ainda tem um pequeno medo
por dentro. E este se enfraquece
toda vez que ela escuta Raul
contar com brilho nos olhos
que tudo que ele sonhou, estava se realizando
 seus filhos, sua esposa, seu lar, sua historia de amor. 
 
Há poucos dias atrás...
As três amigas se reencontraram novamente.  

Thalita...
 
Duas delas estão muito bem casadas 
Apenas Thalita ainda estava solteira,
ainda não havia arriscado suas primeiras sortes no amor.
Apesar de jurar que não tinha medo,
que este não desse certo, depois de algum tempo
observando a felicidade de suas duas amigas.
Preferiu esperar mais um pouco,
torcendo que em sua vida também acontecesse o mesmo.
 
Já havia se passado 10 anos,
Thalita, estava completando nesse dia seus exatos 29 anos,
elas se reuniram como sempre faziam no passado,
mas agora duas delas estavam a favor do casamento.

 E perceberam que Thalita, estava apreensiva 
cheia de dúvidas e indagações, que realçam suas duvidas 
e temores, que antes não existiam.

Ora durante todo este tempo, Thalita conheceu
varias pessoas, e teve inúmeros e passageiros 
casos de amor, que nem sequer chegaram próximo a um enlace.

O mais próximo de todos está sendo o atual.

No momento ela está namorando, com Rafael
― Acho que estou apaixonada! (disse as amigas)
― E ele? Perguntaram-na elas ao mesmo tempo.
― Eu penso que também esteja!

E juntas elas se alegraram, 
Vanusa e Débora achavam muita graça
do nervosismo de Thalita.
Ela estava sentindo medo de se arriscar,
(logo ela que se dizia a desprendida)

― Thalita se ele te pedir em casamento hoje,
o que responderia a ele? Sim ou Não?
(Débora lança a pergunta seriamente
e sorrindo aguarda a resposta)

― Quer saber! ― Eu diria sim!!!
― Que aceito, e quero passar todos os dias da minha vida ao lado dele!!!

Débora e Vanusa fitam os olhos sobre Thalita 
com sorrisos maliciosos
e olhos umedecidos de emoção,
apontam com a cabeça para que ela olhe para trás,
ao olhar, depara-se com Rafael   
ele está com um enorme bouquet de flores,
e um par de alianças nas mãos.

E confessa a ela, ali mesmo em meio a suas amigas;
― Estou me sentindo o homem mais feliz do mundo!
― Aceita se casar comigo? ― Prometo ama-la
e respeita-la por todos os dias da nossa vida.

Um silencio de aproximadamente uns dois minutos
caiu sobre todos, Thalita estava sem palavras,
até que uma de suas amigas, rompe o silencio
reforçando a pergunta já respondida a elas, 
e que agora devia ser dita diretamente olhando nos olhos dele.

― Thalita! ― Responde logo de uma vez minha amiga,
Sim ou Não?

Encerro este conto com a resposta de Thalita;

― Sim!


L.L.S
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Posts Relacionados