music

sábado, 15 de outubro de 2016

HUaMOR (No galope, suaves rimas)

 À fuga do vilarejo.


Tão distante como as campinas
São os montes despovoados
Verdejantes bosques, aguas cristalinas
(Tudo já estava planejado)

...O dia a hora e o momento certo!
Cavalo selado (Coração disparado)
E -à moça conferindo...
"Se o portão estava mesmo aberto,
e se de nada havia esquecido!"

Inicio de fim tarde, crianças brincam na rua
que está quase vazia.
A noite é de lua (cheia?) É! Tá confirmado
é hoje mesmo.

(Quando derem por falta dela) Já será dia!!!
Ela se despede de todos e se tranca no quarto.
E, ninguém desconfia de nada (!!!)
Deste segredo.

Severo (seu pai) Corteja Conceição (sua mãe)
Mas não consegue ver o amor de sua filha.
E, em volta do fogão diz; "Nós é quem devemos escolher,
com quem nossa filha deve se casar.
E amanhã anunciaremos o casamento na vila!!!"

Mas, não era aquele moço que ela amava...
(Era outro)
Mas sua família não aceitava,
que contrariassem seus gostos!

Se não for para ficar com quem se ama
...(Casar não vale a pena)
Já em pé ao lado da janela (Ela)
Se despedia de seu quarto, e de sua cama
(papai e mamãe) sua filha já não é mais aquela pequena

Que brinca de boneca no quintal
e que pula cordas. 
Ela foi aquela pequena flor
mas agora, é uma linda rosa.


O Jovem cavaleiro


Sinceridade não tem idade
No amor não cabe a mentira
Só quem mesmo quer,
pode ser feliz de verdade!


Assim era Ernesto (homem muito novo)
Mas foi muito homem
para assumir essa mulher.

Tem gente que fala que AMOR não existe
(Existe sim gente muito triste)
Que tenta pouco e logo desiste!

Tem medo de família,
medo de trabalhar!
Medo também brilha
mas seu brilho é embaçado.
Nada é tão lindo quanto o brilho no olhar
(encontrado) Nos olhos apaixonados.


"Estou chegando!!!"

A poeira no fim da rua se aproxima
Se inicia o galope das rimas...

O cavalo quando flutua
Bom cavaleiro s'embebeda
"Hoje (eu acredito) q'ela vai ser sua
ela também quer -Seguir à lua!
e já o espera,"Kadê o meu bonito?".
Quer ser (pra sempre) Tua mulher!"

As crianças gritam Êiaaaaaaa
Cavaleiro apressado!!!
Mas ele tem pouco tempo
e pra trás deixa a poeira.
Ele só para -Para a moça bonita!
Que vem correndo lá de dentro!!!

Ela
foi vista pela ultima vez
ali! Naquela esquina!

-Subindo na garupa do seu cavalo
"E como uma flecha partiram de vez
em direção às colinas."

Cavalgando abraçados
(assim contaram os meninos)
E, eles estavam admirados
em seus olhos desejavam iguais destinos.

Ah quão bela lembrança (Eu tenho)
D'ste amor tão bonito
que virou tradição!
E naquele sertão
ninguém mais decide
com quem casariam seus filhos.
Ao passado eu não volto (Eu venho)

Deveria ter sido assim desde o inicio,
Severo evitaria muita dor
As nossas famílias.

Mas, a gente voltou um dia
Sim voltamos! E não estávamos sozinhos!
Voltamos e nos casamos
Severo agora morre de amor, pelos seus netinhos.



Fim.






(Lourisvaldo Lopes da Silva)



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Posts Relacionados