music

domingo, 9 de outubro de 2016

A Peregrinação de um conto


O Anseio;

Lavra às pedras a bel prazer
A insistente repetição do mais fraco
O Vento transporta os montes
E a agua esculpe as rochas

"Não tive tempo para parar!"
-O ciclo! "Ó infiel obedece
sem que seja preciso mandar"...

Sendo assim arvores crescem
e os rios se entregam ao mar.
À maior vontade é aquela
por qual somos submissos.

Assim reconhecemos o amor
Quando não conseguimos resistir
Surge então o ardor
"Desejo intenso de perseguir!"

O Escultor;

Mãos de lavores cansados
Ornamentavam esculturas...
Mas quando passei por elas
O escultor estava parado
Na obra que ele faz quer encontrar
aquilo que procura,
para continuar!  

"Então olhei para os lados!"
Tinha necessidade e tinha medo
De estar sozinho (eu temia)
"Devias sim! -oh escultor ter me completado!"

A busca;

Tomei a direção em que havia
mais pegadas.
Pela marca deixada pelos pés
eu me guiava.

O Eremita tinha uma filha;

Ninguém nos termina! ...(entendi)
Que profecia não é uma sina.
Barba longa e palavras curtas
Encontrei um velho eremita!

...Na orla das turbas isolado!
Ele mora
É próximo a cidade morta
(Aonde poucos vivos choram)

Este tinha uma filha
E está era muito bonita.
Mas estava maltrapilha
E descalça mesmo assim ela brilha.

(Ela também estava sozinha)
Quanto mais a olhava
mas eu a
achava bonita.

Ele me perguntou;
Do que mais sentes falta?
Procurei saber; Agora?
"Sim agora!!"

A Decisão;

Vasculhei meu pequeno mundo secreto,
e na lembrança nada vinha.
Naquele momento tudo estava completo
Tudo o que me faltava ela tinha!

Respondi então ao eremita "Nada!!"
(Baseado no fim de minha busca)
E na intenção de continuar a jornada
Tendo-a junto (Seu olhar me ofuscava)
A mais certa resposta precede a palavra.

...E, ela então sorriu) e o velho também!

E ele me fez outra pergunta;

E de agora em diante o que vai ser?

..Eu pensava que tudo na vida fosse uma profecia
(Mas o meu Senhor fez-me servo livre)
 
"Eu então pedi-lhe a mão de sua filha"

Ele me concedeu
E ela já havia aceito.

A rocha e a flor;

Segue a vida e a morte espere
Nós continuamos juntos
Até que nos encontramos com o escultor
Sua obra estava pronta
Deu a ela o nome de Almas gêmeas! 
"Uma rocha esculpida e nela tinha uma fenda
e nessa fenda acrescentou uma flor."

Nunca vi obra tão linda como essa
Também não se sabe de onde virá o amor.

Na frente da rocha
acrescentou uma placa
Com o nome de sua obra
"Ele & Ela"
Todos que por ali passam
saem em busca de sua rosa. 




(Lourisvaldo Lopes da Silva)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Posts Relacionados